sexta-feira, 13 de junho de 2008

Destinatário Desconhecido

Escrevo para alguém que não conheço, apenas para que compreenda. Alguém que não me encontrou no caminho certo, no momento certo, no dia exato. Alguém que não participou dos meus piores desesperos, e que não enfrentou comigo o marasmo. Alguém que não esteve aqui pra me abraçar e me entorpecer, enquanto todos me atearam pedras. Alguém que não se esbarrou em mim e nem deixou cair alguma coisa, por cautela. Maldita cautela, tão importuna! Devo deixar claro que os tropeços e acasos têm tamanho poder sobre nossa vida? Tudo bem... Embora eu queira continuar proferindo a alguém, sinto que não tocou minha mão, e nem me deu um abraço ainda... Mas, não há necessidade em ser hoje. Eu não estou marcando um encontro, e isso não pode ser encarado como uma promessa. Não que eu não me suporte ou esteja necessitando de alguém, só é mais agradável estar acompanhado e ter com quem rir e chorar. Isso pode ser engraçado, me pegar escrevendo como um apaixonado para quem desconheço, ou isso é deprimente. Tudo é relativo. Além do mais, fazer alguém feliz é o maior ato da minha felicidade.

Então se você batesse na minha porta e caminhasse comigo, eu não iria até o caminho traçado, pois ele leva somente até onde os outros já foram. Eu te levaria à um lugar e te mostraria o que seus olhos nunca viram, não seria algo sólido, algo sórdido, algo impuro, ou até, algo (sur)real. Mas, algo que surgisse de dentro. Em mim, em você, embora ainda não... Mas em nós. E, penso no que eu te diria se você estivesse bem aqui, na minha frente, ou ao meu lado, por poucos minutos.

Queria que estivesse perto, e se está, que estivesse mais perto ainda, porque perto como está é longe demais pra mim. Você nasceu há tempos, cresceu aos poucos, e está por aí. Você pode ser alguém que eu rejeitei, ou a ligação a cobrar que não fiz questão de atender. Você foi ou é? Você é ou será? Ou melhor, será que é você? Carrego nas costas um sentimento incompreendido por mim mesmo; auto-sustentação e desejo por alguém que estivesse comigo. Pois, meu coração não está quebrado, continua a pulsar. Pode ser um equivoco eu querer me equivocar. Não vou culpar ou reclamar com o destino ou com o 'velho' acaso, talvez tenha algum sentido não nos conhecermos ainda. Você é alguém que talvez, sem querer se atrasou, mas que pode ter salvado uma vida... Talvez quem sabe, a minha?

9 comentários:

' arcano disse...

Se voce me achar pelo caminho, apenas acene!

Sua intensidade me faz perder o ar!

Isabella (: disse...

*-*'
adoro tudo que você escreve (:

:*****

Inara disse...

Adorei todos *o*~
mas vou comentar nesse que foi o meu preferido :*

Goiano disse...

otimo texto
entao o sr é de goias
hummm
quase vizinho meu
hahuauha
bem é um prazer estar na sua lista de amigos ai no blog
pq vc escreve muito bem
parabens

ps.: qdo eu aprender a mexer eu te coloco como favorito tbm
adorei aqui

beta disse...

eu me sinto uma doente idealizando, pensando, montando situações com uma pessoa que eu nem conheço, pra compartilhar momentos que eu sinto falta e que eu gostaria de ter de novo (:
me idifentiquei demais com esse post *-*

ju disse...

ou a ligação a cobrar que não fiz questão de atender.

Talvez quem sabe, a minha?

-
..ou me alguma outra coisa qualquer!

mayara disse...

nossa você escreve muito , e o que eu mais gostei foi esse (:
parabéns *-*
;*

Pamella disse...

IGoR, Lindos seus textos!!
Como sempre vc escreve maravilhosamente bem =)
Desperta-nos emoções e reflexões!!
não pare nunca!!
bjusss
Pam

Anônimo disse...

foi como se você tivesse entrado na minha mente/coração e descobrisse oque eu estou sentindo.
as vezes é ruim sentir falta de alguém assim , que você não tem ideia de como chama, onde mora e quando vocês vão se conhecerem.