quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Dualismo entre meu Ego

Confesso que perdi a fala. Inspiro. Rápido, traga-me uma folha. Isso, agora se sente ao meu lado. Se pergunte o que estou tentando fazer e a conclusão que chegará é que estou perdendo tempo. Tanto o meu, quanto o seu. Mas ainda assim há fôlego. Dessa vez eu insisto. Por favor, tem alguém aí? Evito fazer figuração na minha própria vida, posso até perder a direção de sentido, mas não perco a esperança. Ouço melodias sutis e o teu silencio gritante. E enquanto pestanejo, percebo que minha sombra é quem tentara se deslocar pra fora de mim, de tal modo que eu chegasse a pensar que havia alguém ali, além de mim.

O movimento continua lá fora, está todo mundo lá. E eu aqui a mercê do cotidiano remoto. Preciso mudar esse curso, quem sabe tomar um ar lá fora. Se conseguir convencer a mim mesmo de que minha lucidez esteja iníqua ou minha insensatez esteja aguçada, saberei que perdi tempo o bastante não conseguindo me expressar realmente. Porque o que se iguala ao meu desejo, é tal sentimento de reparação. Devo deixar claro que este é um momento de total reparação para meus sentimentos, escolhas e desejos.

As horas estão passando. Prefiro confessar o que ocorrera nas últimas quarenta e oito horas da forma mais interessante que possa parecer. Mesmo porque não há nada de interessante a acrescentar na minha vida. Volto a pestanejar, preciso me reconciliar com a tal felicidade - pode ser a momentânea mesmo. Sigo meus passos demarcados e me perco no caminho. Consigo chegar até uma cabana no meio desse bosque. Entro e me asseguro de não estar fazendo a coisa errada. Agarro-me ao chão. Sinto um repuxo. Levanto-me e tento gritar. Não consigo, confesso que perdi a fala...

14 comentários:

Matheus Gomes disse...

Cara, muito bom. Parabéns.

Miriã Soares disse...

o que tem na cabana? o eco de seus pensamentos, suas uvidas, ou respostas?

slim shady disse...

Senti mais como Desabafo.

Belo texto.

Guerreiras Vencedoras disse...

desabafo?

Sonebald disse...

Desabafo, reflexão, insanidade.

Levi Ventura disse...

Rpz meu pensamento está meio lento agora a noite, precisei reler algumas vezes pra entender(ele concerteza está compreensivo, eu que não estou com boa mente hoje).
Gostei muito, o final você deu um gostinho de quero mais, de se flar poxa!já acabou?!

Juliano Jacob disse...

Concordo com o Levi... Deu gostinho de Quero mais... Tem muita coisa boa por aqui... Valeu pela visita no Gavetão...


www.gavetaoblog.blogspot.com

RomMa disse...

Belo texto.

www.congelandomeusmomentos.blogspot.com

Natalia Fênix Gótica disse...

Desabafo...Bem pode ser insanidade mesmo =p

Leire disse...

E na cabana, estava seguro, afinal? Porque quando começar a se sentir inseguro com teus próprios egos, daí tens um problema.

Obrigada pela visita.

Um abraço!

Nilson Vellazquez disse...

É preciso perder-se para se encontrar.. Parabéns!

Lílian Alcântara disse...

"é que estou perdendo tempo. Tanto o meu, quanto o seu. "

primeira vez que venho ao seu blog, por descuido do mouse cliquei em algum link que me trouxe aqui, me senti obrigada a adicionar o blog a lista de favoritos pra voltar mais vezes, e quanto a frase copiada, é que travei um pouco nela e foi difícil continuar a ler depois de pensar em tudo que está por trás disto, todos os fatos antigos à mim.

Marcel disse...

"Silêncio gritante", adoro essas antíteses...

Bom, vc sabe mesmo desabafar, refletir, ensandecer... Sua cabana com certeza é um lugar legal.

Um grande abraço!

Ellen Regina - facetasdemim disse...

eu, q amo linguagem, gostei muito do seu modo de escrever, embora não concorde com parte de suas opiniões...